Search
Close this search box.

Apesar das tinturas vermelhas, o Governo Rui Costa (PT-Bahia) tem bizarras semelhanças com a ofensiva conservadora e políticas de ajustes aplicadas por Bolsonaro. Posição da APS/PSOL Bahia, a seguir.

 

Resolução sobre o governo Rui Costa (PT-Bahia)

APS/PSOL BAHIA – Ação Popular Socialista

 

No ano de 2019, as trabalhadoras e trabalhadores/as experimentam os primeiros meses de um desgoverno de extrema direita encabeçado por Jair Bolsonaro. Em três meses de governo, têm-se os seus traços mais marcantes: a tentativa de destruição da previdência pública; ataques aos movimentos sociais e lideranças populares; as relações escusas com as milícias; as denúncias de corrupção, a maior militarização de um governo desde a Ditadura militar, o que significa tendência a maior uso da força. Desde a campanha eleitoral, está em curso ameaças aos opositores, sejam lideranças políticas de esquerda como Jean Wyllys e Boulos, movimentos sociais e até mesmo a jornalistas de orientação liberal. Por tudo isso, não descartamos a possibilidade de regime autoritário. No que diz respeito à política social, desenha-se um quadro de desmonte dos direitos conquistados e das políticas públicas, com centralidade para os direitos previdenciários e sociais.

Na Bahia, onde o povo resistiu firmemente ao Bolsonarismo, com seu falso patriotismo e farsante discurso antissistema, o Governo Rui Costa se alinha com as primeiras políticas do Governo Bolsonaro, especialmente a previdenciária e de segurança pública. Apesar das tinturas diferentes expressas no vermelho do Partido dos Trabalhadores, o Governo Rui Costa guarda bizarras semelhanças com a onda conservadora e com as políticas de ajustes impostas pelo capital em crise.

O governo de Rui Costa aprofunda uma política autoritária de ataques a diversos setores da sociedade civil e da classe trabalhadora, que se tornaram marca característica do governo Bolsonaro, a saber:

 

1 – Violência policial contra os corpos negros

 

2 – Perspectiva de gestão militarista da educação:

 

3 –Outro elemento presente são as políticas de viés neoliberal do governo Rui Costa:

A política de contingenciando dos investimentos em áreas sociais, arrocho e acúmulo de perdas salariais (desvalorização dos/as servidores/as públicos).

Esses elementos nos parecem suficientes para a caracterização do governo do Estado da Bahia de Rui Costa/PT como um governo de políticas neoliberais e com várias concessões aos conservadorismo (expressas também nas alianças políticas com legendas de direita e grupos tradicionais da política baiana; assim como aliança com setores conservadores expressa na adesão às pautas das Igrejas Neopentecostais). Essas questões acabam por aproximar, em alguns momentos, o governador baiano Rui Costa com as pautas da política autoritária em voga no Brasil.

APS/PSOL BAHIA – Ação Popular Socialista

Abril de 2019

2 respostas

  1. Achei muito interessante o final do texto onde diz que “em alguns momentos essas questões acabam aproximando o governador baiano Rui Costa com as pautas da política autoritária em voga no Brasil “. Peço ao PSOL que apaguem todo o texto , pois não diz nada além de que esse partido é de fato um puxadinho do PT.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *